Bom, esse é o primeiro – de muitos – post sobre livros. A minha intenção é ler um livro por semana e postar a resenha no final de semana, não garanto que toda semana eu consiga, talvez alguns livros precisem de mais de uma semana para finalizar, mas vou fazer o possível 🙂

O livro que eu escolhi ler esta semana foi A Última Grande Lição (Tuesday with Morrie). Comecei a ler o livro quando tinha 18 anos, mas não sei por qual motivo não terminei, na verdade, o livro na época talvez não fizesse tanto efeito sobre mim como fez agora.

O Livro
Apesar do livro abordar assuntos como, vida, felicidade, amor, não conseguia associar à imagem da capa. Já me peguei tentando descobrir algum sentido para ser uma árvore e nada me vinha na cabeça. Após terminar de ler o livro entendi o sentido da imagem, e digo, tem TUDO a ver com o livro!
O livro é curtinho, terminei de ler em 4 dias, é o tipo de livro que te prende e você acaba até esquecendo que existe músicas no seu celular para escutar.
A fonte e o tamanho, são ótimos, odeio ler aqueles livros fininhos que quando você abre, o tamanho da fonte é por exemplo, Arial 6. Achei o livro em si ótimo.

Achei o livro em si ótimo, tem até algumas notas no rodapé e frases.
A História
Morrie é professor numa faculdade em Massachusetts, sua sala é repleta de livros de religião, sociologia, filosofia, etc e Mitch foi seu aluno e seu amigo, Morrie gosta do contato pessoal, gosta de ouvir, de ensinar, de falar, aprender, dançar, após alguns anos, Morrie descobre que está com uma doença terminal, a ELA (esclerose lateral amiotrópica), sabendo da doença do seu professor favorito e acima de tudo amigo, Mitch resolve visita-lo. A partir deste reencontro eles começam uma tese sobre o sentido da vida. Falam sobre o amor, o perdão, o casamento, entre outros assuntos que todos nós nos identificamos e vivemos. Essa tese virou livro, e com certeza ainda vai mudar muita gente.

Minhas Considerações
Você já se apaixona por Morrie no começo do livro, sempre me pego pensando que todos nós deveríamos ter um “Morrie” por perto, Mitch é o clássico ser humano de hoje em dia, corre atrás do dinheiro e do conforto. A verdade é que, todos nós temos um pouco de “Mitch” e um pouco de “Morrie”. Mas depois de ler o livro, sinto muito mais vontade de pensar como Morrie. 
Todos nós passamos por algum tipo de dificuldade na vida, mas muitas pessoas reclamam tanto ou se apegam demais a esses problemas que acabam ignorando tudo o que possui de bom na sua vida e passa a se sentir insatisfeito com tudo. Aprendi muita coisa com esse livro e acho que todo mundo deveria ler. 

Vou colocar aqui uma das partes do livro que me chamou muito a atenção.
”    – A verdade Mitch, é que não existe base – continuou -, não existe um fundamento sólido no qual as pessoas possam se apoiar hoje em dia, a não ser a família. Depois que adoeci, isso ficou claro para mim. Quem não tem o apoio, o amor, os cuidados de uma família, não tem muito com o que contar. O amor é supremamente importante. Como disse nosso grande poeta Auden, “amem-se uns aos outros ou pereçam”.
    – Amem-se uns aos outros ou pereçam. – Tomei nota.
– Auden disse isso?
    – Amem-se uns aos outros ou pereçam – Morrie repetiu.
– É bom, não acha? É tão verdadeiro. Sem o amor, somos pássaros de asas quebradas.

Lindo né? Recomendo muito!


Espero que tenham gostado e até o próximo post 🙂


Comentários

Administradora por formação, blogueira por amor e metida a web designer por economia.

Deixe uma resposta